O Deus que se Revelou

A Revelação Especial de Deus em todo o período do Antigo Testamento estava limitada e restrita ao ambiente histórico, geográfico e cultural de Israel. Foi por meio de seus atos divinos de revelação no palco da história israelita, que pudemos conhecer de modo mais preciso Sua vontade, Seu propósito e Seu caráter.

Entretanto, chegaria um tempo em que esta Revelação Especial se estenderia para além dos limites históricos-culturais do povo de Israel. Chegaria um tempo em que Ele haveria de se “revelar plenamente” à humanidade numa ampla e perfeita manifestação de Seu Ser. E isto se deu por ocasião da encarnação de Seu Filho entre os homens. Diz a Escritura: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus…e o Verbo se fez carne e habitou entre nós. E vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade…ninguém jamais viu a Deus, mas o Deus Unigênito, que está junto do Pai, o tornou conhecido” (João 1:1,14,18).

É em Jesus de Nazaré que o Deus Eterno e Soberano se revelou plenamente aos homens. Foi na vida e na obra de Jesus Cristo que todo o caráter santo e amoroso de Deus, bem como Sua vontade e propósitos foram plenamente revelados. E foi justamente isso que o autor da Carta aos Hebreus tentou transmitir a seus leitores: “há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, mas nesses últimos dias falou-nos pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo. O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do Seu Ser…” (Hebreus 1:1-3a). Foi, portanto, em Jesus, que Deus se mostrou plenamente ao mundo como Ele é.

E isso inaugurou um novo tempo na história! Deus agora passa a ser conhecido plenamente pelos homens quando estes conhecem quem Jesus Cristo é: “eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida, ninguém vem ao Pai se não for por mim” (João 14:6). Somente por meio do conhecimento da vida e da obra de Jesus de Nazaré é que podemos conhecer de fato quem Deus é em essência.

Pr. Anderson Rezende – Vice Reitor da FATEF